Escolhe a tua dica

Escolhe a tua dica

Por Nino Raleiras

E como não sou egoísta, partilho aqui a provocação, digo, o desafio (até parece que preciso assim tanto de melhorar…pufff!):

Qualquer um de nós, seja um atleta de eleição ou alguém que se limite a arrastar os pés durante exasperantes minutos, pode identificar-se com várias das 9 dicas que se seguirão, mas, na sua essência, só uma toca o alvo, ou seja, só uma será eficaz para a melhoria dos resultados desportivos (ainda não verifiquei se também se pode adaptar à modalidade do “levantamento de copo”, mas lá chegarei).

Cada uma das dicas enquadra-se num dos tipos de personalidade existentes e o que aqui se pretende é potenciar o nosso desempenho e identificar os “gatilhos mentais” que o limitam (e não, os gatilhos mentais não dizem respeito ao “Reservoir Dogs”).

Sempre fui cético com este tipo de ajuda, no entanto, e porque “nenhum homem é uma ilha” (John Donne) – fui pesquisar para que mais ninguém perca o seu precioso tempo –, aceitei o que me foi proposto e acabei por perceber que o meu comportamento encaixava que nem ginjas na dica 3.

Eh Pá! E não é que me tenho sentido mais descontraído durante as corridas? (e “acradito” que nem tudo se explica com o número de jolas ingeridas).

Ora, “portantos”, cá vai:

Dica 1:
Aceita que és humano e tens falhas. Relaxa a mente, deixa as pernas fazer o seu trabalho e desfruta. A tua crítica interna tira-te segundos, km e, principalmente, tira-te o prazer que é suposto teres enquanto corres.

Sorri quando tropeças ou te espalhas ao comprido. 

Não te leves tão a sério.

Dica 2:
Reconhece o teu valor diariamente e aceita que o tempo que estás a dar à corrida não é egoísmo, é parte integrante de ti.

Valoriza os teus progressos à medida que eles acontecem e o quanto já melhoraste. 

Dica 3: 
Aceita que é preciso tempo para a tua performance melhorar e que a única e real competição que tens não é contra ninguém: é contra ti mesmo, perseguindo a tua melhor versão. 
Aceita que nenhum atleta conseguirá ter sucesso em todos os treinos e provas. 

Descobre-te enquanto vais percebendo qual a real conquista que está para além das metas, para além do óbvio.

Dica 4: 
Não te consumas ao querer que cada treino ou cada prova sejam especiais. Descontrai, aproveita e esvazia a mente para sentires efetivamente os efeitos da corrida. 
As tuas emoções ficam lá fora e não interferem no teu treino/prova.

Não procures fazer diferente só porque sim. Keep it simple. Poupa-te! 

Não leves a peito quando os teus parceiros de treino não corresponderem à relação de proximidade que crias de forma automática. Não é nada pessoal, eles simplesmente são assim.

Dica 5:
Conhece a corrida por ti. Copiar a forma como alguém chegou a uma elevada performance só funcionaria se fossem completamente iguais. 
Descobre-te ao longo do teu caminho enquanto atleta e enquanto Ser Humano. Porque sabes bem que há uma parte de ti que só se manifesta quando corres.

Mete menos foco na “sabedoria” sobre a corrida. Menos teoria, muito mais prática. Vais ver que flui muito melhor. 

Quando treinas acompanhado e sentes que algo não está bem durante um treino, fala logo, evitando assim que aquele seja um suplício.

Dica 6:
Não faças hiper-análises sobre os teus tempos ou sobre as distâncias percorridas. Isso pode levar a que te subvalorizes.

Gasta a energia na corrida e não na previsão de cenários.

Congratula-te. Isso esvazia tanto, mas tanto os teus excessos de personalidade.

Dica 7: 
Essa gula é tramada. Gula de mais distâncias, melhores tempos, mais provas e desafios.

Faz uma revisão dos teus projetos e elimina opções. Isso dá-te mais energia e foco para o que realmente importa.

Reflete sobre “do que é que eu estou a fugir?” quando preenches a tua mente com uma enxurrada de metas. Aí sim, há crescimento.

Aceita que a frustração faz parte do processo e é uma oportunidade para evoluir. 

Dica 8:
Derrubas obstáculos com a tua determinação. Cada fronteira é uma prova de força a ser superada.

Equilíbrio: não exijas tanto dos outros como de ti. Eles têm o seu próprio ritmo, e quereres mudar isso só te vai desgastar.

Reduz as tuas expetativas sobre os outros, observa os teus excessos e lembra-te de que, se calhar, o Mundo não se divide entre fracos e fortes.

Dica 9: 
Se definires metas de uma forma mais regular, o caminho fica muito mais nítido.

E inclui a tua vontade nelas. Diz não muitas mais vezes. Não vás treinar ou fazer provas porque alguém te pede, quando isso bate de frente com a tua vontade ou com a tua agenda.