Correr com lixo nos pés

Correr com lixo nos pés

Há já alguns meses que os chouriços, a que chamo pés, se sentiam confortáveis com os Terrex Two Ultra Primeblue da Adidas. Tinha-os testado em pisos de diferentes características, mas nada como os Trilhos dos Abutres para tirar as dúvidas. 

A crónica sobre a prova pode ser aqui lida,  no entanto, é justo relevar o papel fundamental destes meninos a impedir as minhas quedas habituais nestes trilhos (numa das edições, foram, seguramente, mais de dez as vezes em que fui ao “tapete”). E como não me mostrar agradecido, quando me consigo sentar e dormir normalmente nos dias seguintes? (sem piadas foleiras, que esta é uma “casa” de bons costumes)

Agarraram as descidas com a certeza de que não seria a minha inépcia a impedi-los de fazer o seu trabalho. Enfrentaram as subidas com a mesma garra com que os meus companheiros atacaram a chanfana no dia anterior e não se perderam na lama que, surgida como que num passe de magia, marcou os km finais.

E são amigos do ambiente e tudo! Desconheço se bebem umas jolas juntos no fim do dia, mas incluem um plástico que é produzido a partir de resíduos apanhados junto a ilhas e comunidades costeiras, evitando que esse lixo continue a poluir os oceanos. E não têm poliéster virgem, o que fica sempre bem acrescentar.

É verdade que são mais quentes que o habitual, mas, em janeiro, suporta-se bem.

Talvez por ter gostado tanto deles, passei mais tempo nos trilhos que o previsto, mas isso agora não interessa nada.

Até ao Louzantrail!