“Animal Farm”: És um Boxer ou um Snowball?

“Animal Farm”: És um Boxer ou um Snowball?

Por Susana Nunes

Num momento em que o mundo parece estar às avessas, dividido e ignescente, olhar para o passado é imperativo, para que não se volte a falhar no teste da História.

E o que é que este início tão negro tem a ver com corridas e livros? Tudo!

Há poucas semanas, por motivos profissionais, reli “Animal Farm” (ou melhor, “Quinta dos Animais, porque li a tradução), essa obra que é uma alegoria perfeita (e profética) sobre a ascensão ao poder de Estaline e a consequente subversão dos ideais revolucionários. Os animais revoltam-se contra os homens para, depois, exercerem também eles a tirania sobre outros animais, julgando-se superiores. De nada serviu, afinal, a revolução na quinta. 
Analisando os animais e as suas personalidades, dei por mim a pensar (por acaso até foi o gajo que não gosta de correr, mas vou ficar eu com os louros criativos…) que tipo de “atleta” sou: Serei esclarecida e estratega nos meus treinos, tal como Snowball, correndo o risco de afastar os que apenas querem descontrair e suar, sem pensar em mais nada? Serei Boxer, forte e capaz de acreditar que tudo se consegue com esforço e perseverança? 
Claro que não me vejo enquanto Napoleon! Aliás, quem assumiria ser prepotente e tirano? Bem… espero que a minha gata não leia esta crónica.

George Orwell, Quinta dos Animais. Porto Editora. 2021